Voltar ao JC Online

2013 foi o ano em que o brasileiro tomou as ruas e políticos proeminentes foram para a cadeia. Protestos – iniciados sob pretexto de anular aumentos nas passagens de ônibus – tiveram adesão em todo o País. E ganharam muitas bandeiras – contra a corrupção, por saúde, educação... Sem líderes definidos, alguns descambaram para vandalismo protagonizado por black blocs mascarados. Em Brasília, o STF condenou José Dirceu e outros 24 envolvidos no escândalo do mensalão. Em junho, a Copa das Confederações serviu de teste para o Mundial de 2014. As arenas estavam prontas, mas a infraestrutura para chegar a elas, não. Infraestrutura deficiente também comprometeu a visita do papa Francisco. Mas a fé que remove montanhas fez com que 3,5 milhões de pessoas chegassem e saíssem das areias de Copacabana sem que nenhum incidente fosse registrado. No Nordeste, a pior seca dos últimos 50 anos dizimou criações e plantações. O mundo perdeu o grande líder Nelson Mandela, referência na luta pela igualdade. Para nossa tristeza, a foto das crianças catando lixo no Canal do Arruda mostra o quão distante essa igualdade está, aqui como na África.