Apreensão gerada entre pais e filhos

Mais de 15 assassinatos por dia foram registrados em Pernambuco de janeiro a setembro deste ano. O número, que soa frio nas estatísticas, se traduz em medo e apreensão entre pais e mães de crianças e adolescentes no Estado. Para muitos, o caminho natural é limitar a liberdade dos filhos. Em alguns casos, alertam especialistas, a preocupação excessiva pode resultar em superproteção e atrapalhar o desenvolvimento do jovem.

Assim como a maior parte dos adolescentes de sua idade, Caio gostaria de ter mais autonomia. Aos 13 anos, ele faz pequenos trajetos desacompanhado, geralmente próximo ao prédio onde mora, na Zona Norte da capital. “A minha geração tinha mais liberdade para sair nesta fase. Hoje, a gente se sente inseguro, porque a violência está cada vez maior. Sempre me pergunto qual o momento de deixar Caio sair sozinho. Como não deixo ele se arriscar muito, sinto que é um jovem mais dependente, fragilizado”, conta a turismóloga Maíra Braga, 39, mãe do menino.

A minha geração tinha mais liberdade para sair nesta fase. Hoje, a gente se sente inseguro, porque a violência está cada vez maior”, Maíra Braga

A preocupação é a mesma da advogada Paula Arruda Vidal, 41. Mãe de Gabriel, 13 anos, e de Beatriz, 10, ela entende que, apesar do medo, os filhos precisam dar alguns passos sozinhos para que se tornem adultos independentes. “Gabriel já pode passear com o cachorro e ir à padaria, por exemplo. Eu tenho dado essa pequena autonomia para que ele vá conhecendo a rua, vá vendo como as coisas funcionam, mas é uma autonomia muito restrita.” Alguns cuidados são sempre tomados. “Gabriel só sai quando estou em casa, para poder controlar o tempo que demora. Além disso, não vai para a rua com celular.”

De acordo com a psicóloga e especialista em crianças e adolescentes, Suzana Schettini, a superproteção pode resultar em adultos inseguros, medrosos e indecisos. “Deve haver um equilíbrio. A liberdade tem que ter limite, mas ela precisa existir. Na dúvida, a melhor opção é sempre procurar informações ou buscar ajuda de um profissional.”

 

 

Expediente

12 de Novembro de 2017

Diretoria

Laurindo Ferreira
Diretor de Redação do Jornal do Commercio
Maria Luiza Borges
Diretora de Conteúdo Digital

Edição

Betânia Santana
Assistente de Edição

Conteúdo

Amanda Rainheri
Concepção e reportagens

JC Imagem

Arnaldo Carvalho
Editor Executivo
Heudes Regis
Assistente de Edição
Diego Nigro
Fotrógrafo
Guga Matos
Fotrógrafo

Edição de Vídeo

Victória Gama

Design

Bruno Falcone Stamford
Editor Executivo
Karla Tenório
Assistente de Edição
Moisés Falcão
Coordenador de Design Digital
Luciana Lobo
Design
Guilherme Castro & Bruno Carvalho
Front-end