Curiosidades da Copa

Por Luana Ponsoni

Nas 19 edições do maior torneio de futebol do planeta, uma série de fatos inusitados e engraçados marcaram a história do evento. Abaixo, confira algumas das curiosidades que mais se destacaram entre a primeira Copa, em 1930 e a última, em 2014.


Copa de 1930, no Uruguai

O uruguaio Héctor Castro não chamou atenção apenas pela habilidade com a bola. Ele não tinha a mão direita e ficou conhecido como "O Divino Manco".

SUPERAÇÃO

Copa de 1934, na Itália

Em razão das costuras das bolas da época serem bastante grosseiras, o italiano Luigi Bertolini entrou em campo com faixas enroladas na cabeça. No momento do cabeceio, os jogadores costumavam sair de campo com a testa ferida.

CABEÇA EM DIA

Copa de 1938, na França

O atacante Leônidas da Silva foi o artilheiro da competição, com sete gols. Um deles foi marcado com o jogador estando de pés descalços. Na estreia do País no torneio, a canarinho venceu a Polônia por 6x5 . O "Diamante Negro" marcou metade desses gols. O último foi na prorrogação. Sob fortes chuvas, a chuteira do atacante acabou rasgando. Na dificuldade de achar outro par com a numeração 36, ele não teve dúvidas. Arrancou a chuteira e marcou o gol descalço. Dizem que os pés cheios de lama não o entregaram à arbitragem.

PÉ NA BOLA

Copa de 1962, no Chile

No jogo entre Brasil e Inglaterra, válido pelas quartas de final da competição, um cachorro acabou invadindo o campo e protagonizou uma das cenas mais hilárias da história do torneio. Apesar de ser um dos jogadores mais habilidosos do Mundial, Garrincha tentou segurar o animal e acabou levando um drible. Já o inglês Greaves, que não era dotado de grande habilidade, conseguiu segurar o invasor.

PEGA ESSE CACHORRO

Copa de 1962, no Chile

Essa edição do Mundial foi uma das mais violentas da história do torneio. Após os cinco primeiros dias de disputas, 50 jogadores ficaram contundidos em razão de jogadas duras com os adversários.

UFC DA BOLA

Copa de 1982, na Espanha

Apesar de o placar da semifinal do último Mundial, entre Brasil e Alemanha, ter ganhado contornos catastróficos para o futebol da canarinho, a derrota do País POR 7X1 não foi a maior goleada já sofrida por uma seleção na Copa. Na estreia, pelo Grupo 3, El Salvador levou 10x1 da Hungria.

NADA DE 7X1

Copa de 1994, nos Estados Unidos

O defensor mexicano Marcelino Bernal acabou avariando a estrutura do jogo Bulgária e México, pelas oitavas de final do Mundial. Antes de o adversário superar os mexicanos nos pênaltis, ele exagerou na força ao tentar salvar uma bola e quebrou a trave.

EXAGEROU

Copa de 2002, na Coreia e Japão

O turco Hakan Sukur marcou o gol mais rápido da história da competição. Ele balançou as redes aos 11 segundos do duelo contra a Coreia do Sul, válido pela disputa de terceiro lugar do Mundial. No fim, deu Turquia que venceu por 3x2.

THE FLASH

Na base da taça da Copa do Mundo há espaço para gravar o nome das seleções campeãs apenas ate 2038.

E DEPOIS?

Copa de 2014, no Brasil

Até a Copa de 2014, no Brasil, a Copa do Mundo foi palco de 2.379 gols.

BOLA NA REDE