Rota do Mar

Sonho de menino que virou sucesso

De um sonho de menino, alimentado durante toda uma vida, nasceu a Rota do Mar, natural do Agreste pernambucano e uma das maiores confecções do Estado. Hoje, quase 21 anos depois de chegar ao mercado, com um quadro de 600 funcionários, a marca conquista, mais uma vez, um lugar entre as melhores empresas para trabalhar no GPTW 2017.

Atualmente, a Rota do Mar está entre as maiores confecções do Brasil. Produz mais de 1 milhão de peças anualmente e atende a todo o País. “O tamanho da empresa é composto não apenas por números, mas principalmente pela dedicação de nossa equipe, que consegue transformar ideias e tecidos em uma virtuosa cadeia de bons negócios e de qualidade de vida. A empresa foi criada para dar continuidade à tradição da nossa família na área de confecções e para atender a busca dos consumidores por roupas modernas, leves, bonitas, bem-feitas e com preços acessíveis”, explica Arnaldo Xavier, diretor-presidente da Rota do Mar.

A confecção trabalha desenvolvendo peças nas linhas surf, street e casual wear, com estilos ligados à praia e à prática desportiva. A sede da Rota do Mar fica no município de Santa Cruz do Capibaribe e tem 40 mil metros quadrados. No total, tem sete unidades produtivas: quatro ficam em Santa Cruz, uma em Brejo da Madre de Deus e duas em Santa Maria do Cambucá, esses dois últimos municípios vizinhos da mesma região. São seis lojas próprias (duas em Caruaru, duas em Toritama e duas em Santa Cruz do Capibaribe) e um showroom na sede.

“Uma das nossas missões é desenvolver pessoas. Acreditamos que não se cresce só. Por isso, atuamos na cidade e na região. Uma boa parcela dos nossos funcionários começou na empresa em funções operacionais e atualmente exercem, até mesmo, cargos de gestão ou de destaque na nossa criação”, diz Arnaldo Xavier. A Rota do Mar destina 1% do seu faturamento para a realização de ações sociais e capacitação de colaboradores.

Atualmente, além de envolver voluntariamente os funcionários em ações com instituições locais, também colabora, há alguns anos, com as ações da ONG Pão e Vida. As atividades são realizadas no município de Manari, no Sertão de Pernambuco, que já foi considerado o pior do País para se viver devido ao seu baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

Expediente

27 de Outubro de 2017

Diretor Comercial

Vladimir Melo

Produção de Conteúdo

JC360

Edição

Fernando Carvalho

Textos

Roberta Soares

Front-end

Guilherme Castro / Moisés Falcão

Projeto Gráfico

Ira Oliveira

Imagens

Divulgação

Tratamento de imagens

Alexandre Lopes