Liderança se aprende na infância

No mundo corporativo, muito se fala sobre a importância da liderança. Estar preparado para tomar decisões, administrar conflitos e alcançar resultados são atributos apreciados num bom líder e possibilitam, muitas vezes, um crescimento na carreira. Entretanto, engana-se quem pensa que as competências de um líder se desenvolvem apenas na fase adulta. Algumas características – como comunicação, iniciativa e criatividade – podem ser inerentes ao sujeito. Mas é possível aprimorar e desenvolver essas e outras habilidades comportamentais ainda na infância.

“Os estímulos promovem a estruturação do currículo socioemocional das crianças, possibilitando o desenvolvimento de competências necessárias para torna-las mais independentes e confiantes”, explica a orientadora educacional do Colégio Motivo, Sarah Bragg.

A escola adota, desde 2014, o programa “O Líder em Mim”, considerado um eficaz processo de mudança comportamental para alunos e educadores. Fundamentado em teorias do desenvolvimento humano, o programa foi desenvolvido pela Franklin Covey Co., nos Estados Unidos, baseado no consagrado livro “Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes” e adaptado à realidade brasileira para escolas do nível básico. “O programa trabalha com a vivência dos sete hábitos e com a quebra de paradigmas, ajudando alunos e educadores a enxergarem as situações de uma forma diferente (ver), mudando comportamentos (fazer) e, assim, alcançando resultados novos e consistentes (obter)”, detalha a orientadora educacional. Como benefícios, as crianças desenvolvem a confiança, a autoestima, a independência, a comunicação, a capacidade de solucionar problemas e a consciência da diversidade entre as pessoas.

Para a psicóloga Claudine Alcoforado, especialista em terapia de casal e família e coordenadora do curso de Psicologia do UniFBV, no contexto da infância é mais comum falar em autonomia, uma vez que liderança é um termo mais usual no mundo corporativo. Entretanto, ela concorda que é fundamental exercitar habilidades como confiança e autoestima. “Dentro do meio em que vive, a criança passa a introjetar limites, que são necessários para a estruturação da personalidade. Porém, esses limites não podem ser entendidos como falta de autonomia, porque aí você retira toda a possibilidade de escolha que a criança é capaz de fazer, dentro do seu universo”, explica.

Nesse sentido, permitir que os filhos escolham dentre opções adequadas à ocasião, qual roupa irão vestir ou o programa do fim de semana, por exemplo, cria condições para que a criança desenvolva a autonomia. “Um modo mais independente tem interferência direta em como a criança vai estruturar o seu futuro. Isso reverbera na maneira como ela se comporta com outras pessoas e também ajuda a desenvolver um nível de frustração, para lidar com sucessos e fracassos”, completa.

Assim como as escolas fundamentais, algumas instituições de nível superior incentivam o exercício da liderança. É o caso da CESAR School, que utiliza uma metodologia de aprendizagem focada na formação de líderes e na resolução de problemas – a PBL (Problem Based Learning). “O objetivo é que, ao final da graduação, os alunos tenham desenvolvido as competências comportamentais do século 21, tais como criatividade, pensamento crítico, comunicação e trabalho em equipe, e estejam prontos para assumir os desafios do mercado de trabalho na Era Digital”, conta o executivo chefe de educação, Felipe Furtado.

Para trabalhar essas habilidades, as turmas são divididas em equipes, com integrantes de diversos perfis. Durante a manhã, os grupos têm as aulas da grade curricular e à tarde desenvolvem projetos para um cliente real, parceiros do CESAR. “A partir da identificação do problema, os alunos irão trabalhar na resolução, aprendendo a renegociar prazos e entregas, a lidar com o cliente, a trabalhar em equipe, dentre outros desafios”, explica.

Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes:

  • SEJA PROATIVO.
    É o hábito da escolha: “você está no comando”;
  • COMECE COM O OBJETIVO EM MENTE.
    É o hábito da visão: “tenha um plano”;
  • FAÇA PRIMEIRO O MAIS IMPORTANTE.
    É o hábito da integridade e execução: “primeiro o trabalho, depois o lazer”;
  • PENSE GANHA-GANHA.
    É o hábito do benefício mútuo: “todos podem vencer”;
  • PROCURE PRIMEIRO COMPREENDER, DEPOIS SER COMPREENDIDO.
    É o hábito da compreensão mútua: “ouça antes de falar”;
  • CRIE SINERGIA.
    É o hábito da cooperação criativa: “junto é melhor”;
  • AFINE O INSTRUMENTO.
    É o hábito da renovação: “o equilíbrio é melhor”.

Expediente

Diretoria

Laurindo Ferreira
Diretor de Redação do Jornal do Commercio

Maria Luiza Borges
Diretora de Conteúdos Digitais do SJCC

Beatriz Ivo
Diretora de Jornalismo da Rádio e TV Jornal

Vladimir Melo
Diretor Comercial

Conteúdo

Fernando Carvalho
Edição

Lidiane Dias
Reportagem

Produzido por:
JC360

JC Imagem

Arnaldo Carvalho
Editor Executivo

Heudes Regis
Editor Assistente

Luiz Pessoa
Fotógrafo

Guga Matos
Fotógrafo

Design

Bruno Falcone Stamford
Editor de Artes

Karla Tenório
Editora Assistente de Artes

Moisés Falcão
Coordenador de Design Digital

Maryna Moraes
Design

Bruno de Carvalho
Front-End

Ronaldo Câmara
Ilustrações