Visão mais ampla do esporte


Por Mariana Mesquita

A faculdade Maurício de Nassau e os colégios Souza Leão e GGE usam a prática como ferramenta no processo de formação do aluno [foto: Divulgação]


Ainda hoje, muita gente acredita que a prática de esportes, dentro do ambiente escolar, seria simplesmente um momento de lazer e descontração. Algumas instituições, porém, percebem essa vivência como algo essencial em seus currículos, transformando-a em diferencial e utilizando-a para trabalhar, além do aspecto fisiológico, outros pontos importantes na formação dos alunos.

Este é o caso dos três primeiros colocados no segmento de educação do prêmio JC Recall de 2013: Colégio Souza Leão (vencedor da categoria escola particular), GGE (curso pré-vestibular) e Maurício de Nassau (faculdade particular). Enquanto aguardam a realização da Copa e das Olimpíadas, os três aproveitam o esporte para consolidar suas imagens e despertar nos alunos e na sociedade como um todo a aprovação pelo trabalho que realizam.

O mais antigo dos premiados é o Colégio Souza Leão, com quase 38 anos de existência. Veterano também na memória dos recifenses, ele já venceu a categoria em anos anteriores (2007 e 2012) e se classificou diversas vezes entre os primeiros colocados. “O prêmio é recompensador, mostra que nosso trabalho está sendo reconhecido e bem divulgado”, afirma a diretora pedagógica Sílvia Cunha Araújo. Segundo ela, a escola utiliza a mídia de massa para se promover (jornal, TV, outdoor e placas de sinalização), mas os próprios pais e estudantes são os grandes responsáveis pelo retorno positivo.

Contando com cerca de 4,5 mil alunos divididos em quatro unidades, o Souza Leão oferece aulas de várias práticas desportivas, como natação e futebol. “Nossa equipe de handebol mirim conquistou o primeiro lugar no campeonato estadual, e somos também campeões de karatê”, orgulha-se Sílvia. As atividades estão voltadas para os próprios alunos, sem maiores preocupações no que diz respeito ao marketing esportivo. “Para a Copa, nossa proposta será realizar um projeto integrado mais amplo, envolvendo disciplinas como história, geografia e português”, adianta.

A ideia de trabalhar o esporte de forma ampla, como ferramenta para o processo de formação e educação do aluno, é igualmente defendida pelo Grupo Gênese de Ensino (GGE). Destaque como curso pré-vestibular, a instituição está prestes a completar 18 anos e já foi premiada em edições anteriores do JC Recall. “Nosso principal conceito de marketing é mostrar qualidade de ensino. No momento, estamos focando nossos esforços para sermos lembrados também enquanto colégio”, afirma José Folhadela, sócio-diretor do GGE, que conta com quatro unidades e possui uma média de quatro mil alunos.

De acordo com Tayguara Velozo, coordenador de educação física e esportes do GGE, o conceito de educação física busca preparar os alunos para a vida. “Temos um programa esportivo, onde oferecemos a prática de esportes desde a iniciação, nas escolinhas, até os momentos de competição, que envolvem outras instituições. Nós nos destacamos em nível nacional e temos, entre nossos alunos, atletas como a nadadora Luiza Marinho, 14 anos, que está cotada para participar das Olimpíadas”, comenta Tayguara.

Porém, o esporte é visto como algo mais amplo. “Nossos alunos participam de festivais esportivos não só como atletas. Eles aprendem noções de primeiros socorros, de organização de eventos, de cobertura jornalística. Tudo fica a cargo dos estudantes, o professor é só um facilitador”, relata Tayguara, frisando a experiência como algo capaz de potencializar diversas habilidades individuais dos alunos e causar impacto na sociedade como um todo.

A Faculdade Maurício de Nassau encara o marketing esportivo de forma ainda mais consistente. Além das atividades curriculares, o esporte é uma das linhas em que a instituição mais investe desde a sua criação, há dez anos. “O marketing esportivo é um instrumento muito interessante para fortalecer a imagem de uma instituição, principalmente universitária. Nós concedemos centenas de bolsas de estudos para atletas de ponta”, exemplifica Janguiê Diniz, fundador e reitor da Uninassau (a nova sigla foi criada após a faculdade ganhar autonomia enquanto universidade, após preencher os requisitos do Ministério de Educação e estar presente em 11 Estados e 17 cidades).

Passaram pelos bancos da Maurício de Nassau atletas de destaque, como a nadadora Joana Maranhão e a pentatleta Yane Marques (que se formou em educação física e, atualmente, cursa pós-graduação na instituição). “Nosso objetivo é fazer com que esses estudantes tenham oportunidades de inserção e ascensão social, se formem, tenham uma boa vida profissional, já que a vida útil do atleta, especialmente se for amador, é muito curta”, detalha.

Segundo Janguiê, a instituição tem obtido bons resultados: há nove anos tem vencido o campeonato estadual e já foi duas vezes campeã geral (e três, vice-campeã) dos Jogos Universitários Brasileiros (JUBs).

De acordo com o reitor, o planejamento da Maurício de Nassau para 2014 também deverá considerar a Copa, sem deixar de investir nas atuais ações envolvendo os atletas. “E além do marketing esportivo, também investimos em projetos como campanhas de doação de alimentos e atendimento em nossas clínicas-escola, que prestam serviço jurídico, odontológico, fisioterápico... Não é somente um marketing de varejo, de propaganda. É um marketing com impacto social”, avalia o reitor.

Contudo, para ele o grande destaque da instituição se dá pelo marketing boca a boca. “Prezamos pela qualidade do ensino e da estrutura que oferecemos aos nossos alunos. Não adianta investir largamente em marketing sem assegurar a excelência dos nossos cursos. Nosso segredo é ministrar educação de qualidade com foco na empregabilidade, já que 70% dos nossos alunos hoje estão estagiando ou trabalhando. Certamente é isso que nos leva a ser a marca mais lembrada pelo público”, pondera Janguiê Diniz.


Agências
Souza Leão – BPM
GGE – MV2
Maurício de Nassau – Agência Um